quinta-feira, 17 de maio de 2012

A RESPOSTA DAREMOS COM TRABALHO

Professores ou baderneiros?
A direção do SINTE-PI e os trabalhadores em Educação comprometidos com a causa trabalhadora repudiam o que aconteceu hoje (15) durante a assembleia geral da Categoria quando os pseudos“professores” ligados aoConlutas, uma corrente do PSTU,Dever de Classe e membros do Sindeserm,tumultuaram a assembleia, agrediram fisicamente as pessoas e não deixaram os trabalhadores escolherem livremente se queriam ou não a continuidade do movimento que está completando 80 dias hoje.
Esses falsos professores que mancham e maculam a imagem dos docentes de nosso Estado mostraram mais uma vez o seu víeis autoritário e o interesse de se promoverem politicamente as custas da categoria. Esse grupelho não respeita a opinião dos demais trabalhadores. Se as coisas não são como eles querem, as pessoas são logo tachadas de traidoras e até agredidas. Esquecem eles,os líderes partidários do PSTU, que o Brasil hoje é uma democracia e que as pessoas tem o direito de expressar suas opiniões sem que sejam agredidas por discordarem do discurso autoritário.
Se a corrente contrária ao fim da greve tinha tanta certeza que o movimento iria continuar porque não deixaram os trabalhadores escolherem livremente como determina o estatuto do sindicato, como rezam os princípios mais básicos de uma democracia? O que eles fizeram foi tentar impor a vontade de um grupinho através da força bruta e da violência.
A afronta, agressão e o viés stalinista perpetrada hoje pelo PSTU só vem a fortalecer e a confirmar o que o Governo do Estado já vinha dizendo, que a greve é política e que por ser ano de eleição, o grupelho que se esconde por trás do partido político se prepara para conseguir votos para os seus candidatos. E 90% dos “líderes” do PSTU que subiram no palanque durante a greve é candidato a vereador, seja em Teresina ou em outras cidades.
Durante toda a assembleia, tentativas de intimidações do grupelho. Escolhidos à dedo por serem os mais “fortões”, os falsos professores com câmeras filmadoras e fotográficas faziam imagens acintosamente de quem tinha a coragem de subir no palanque para defender outras idéias que não fosse as defendidas pelo grupinho. Sabemos inclusive que parte destes querem continuar em greve para atender seu interesses. Pois trabalham em vários lugares, não tendo como cumprir seus horários, aproveitam-se do movimento para receber sem trabalhar. Se eles tem compromisso com a sociedade por que não foram participar na comissão de negociação junto ao governo. Por que não existe o mínimo de interesse em lutar pela categoria. Imaginem só um grupo de anarquistas liderando a nossa categoria. Em vez de fazermos manifestações com atos de cidadania eles querem é que os professores façam a utópica revolução Russa no Piauí. Vejam só quem são os lideres do movimento “revolucionários”. Busquem saber os verdadeiros interesses deles. Deveriam ter mais respeito com a representação que vem dos mais distantes lugares para contribui com o movimento.
É esse tipo de representante que a categoria precisa? Daqui a pouco o Robert Rios vai dizer que tem razão, pois com atitudes como essas que tem coragem de ensinar um aluno ao não respeitar o resultado de uma nota proferida pelo professor. No mínimo esse deseducadores coloca os nossos pescoços na guilhotina. Se a violência escolar ela existe, com esse ato o incentivo que o PSTU e CONLUTASdá a sociedade é ainda maior. São os verdadeiros incentivadores da violência. O SINTE-PI abominaa atitude desesperada desse grupinho de desocupados pois não podemos considerar educadores, que promoveram uma lamentável situação na mídia local.
Aproveitamos para externar nossa indignação enquanto direção e filiados a Central Única dos Trabalhadores - CUT, de atos da representante dessa central, Professora Raimunda Núbia,que ridicularizou o nosso movimento incitando a desordem entre os Trabalhadores em Educação. O que nos deixa surpreso é que a professora tem acento CONAMA, através da CUT. Os companheiros Milton Aguiar e Marta Vanelli, estiveram em nosso Estado, onde participaram por dois dias, com a direção do SINTE-PI, ajudando-nos a construir uma saída inteligente para o movimento paredista. O vice-presidente da CNTE definiu como vitorioso o avanço nas negociações feitas por nossa direção. E nos deparamos com a postura da professora Núbia contradizendo a posição da CNTE. Ficamos perplexos com esse posicionamento, que a nosso ver tem total interesse politico dentro do movimento. É lamentável essa postura e cobramos da CNTE  uma posição firme em relação às atitudes incoerentes da ex-representante da CNTE no Piaui. Pedimos também que a CUT nacional se manifeste em defesa do SINTE-PI que foi atacado por atos covardes, de militantes desta central, contra a direção da nossa entidade em principal a Companheira e Presidenta do SINTE-PI, Odeni Silva.
Temos a certeza que a Direção do SINTE-PI sempre honrou e respeitou os trabalhadores em educação, e em nenhum momento deixou de representar os interesses do nosso coletivo. Sempre defendemos a valorização dos nossos Trabalhadores em Educação.
Que exemplo estes “professores” violentos estão dando aos seus alunos? O da agressão? O do autoritarismo? Como será formada a personalidade destes alunos? Destruindo carros? Ateando fogos e pneus? Jogando ovos em seus professores ou colegas de classe? Cabe aqui uma reflexão até mesmo para os pais que hoje confiam as suas crianças a este tipo de "professores" . 
Este grupo que se diz professor “Da base”, não tem o direito de agredir, desrespeitar, e nem mesmo fazer chacotas e dizer palavras de baixo calão. A  agressão contra  as representantes do sexo feminino, que por si só não mereciam tal tratamento e sem levar em conta a condição de que como pessoas merecem o respeito de quem quer que seja, foi praticada sem nenhum pudor a Lei Maria da Penha.
O SINTE-PI, mostrando que confia nas leis do país, comunica que os representantes agredidos hoje pelos que fazem o movimento, procurarão o caminho da Justiça para que os trogloditas sejam punidos na forma da lei.
A violência perpetrada hoje contra os dignos representantes de uma categoria batalhadora e conscientes dos seus direitos só reforça a opinião de que se tem dos militantes do PSTU agregados na corrente violeta Conlutas: são baderneiros, que se dizem incendiários, mas que na hora mesmo do confronto com a PM, se escondem por trás de homens e mulheres que fazem o verdadeiro movimento de luta de nossa CATEGORIA.
A direção do sindicato depois do episodio de violência sofrido por esse grupo, esta recebendo intimidações por telefone, através de pixações com tons de ameaças a própria integridade física dos diretores do sindicato. Não iremos aceitar tais ameaças, pois vivemos em um país livre. O que esperamos no mínimo é RESPEITO.

PSTU E CONLUTAS NÃO MERECEM ATENÇÃO, AGRIDEM AS MULHERES E INCENTIVAM A VIOLÊNCIA CONTRA A PROPRIA CLASSE TRABALHADORA.
 A DIREÇÃO SINTE-PI
 JUNTO COM VOCÊ FAZENDO ACONTECER
.






Postar um comentário