sábado, 5 de maio de 2012

Governo cede e dá reajuste de 22% aos professores grevistas

A categoria ainda não sinalizou pelo fim da paralisação, mas fará assembleia na segunda (07) para avaliar a proposta.

Após cerca de 4 horas de reunião entre professores e governo, a administração apresentou proposta de reajuste de 22,23% para a categoria, em greve há 71 dias. A projeto garante que o aumento seja feito de forma escalonada.

Fotos: Evelin Santos/Cidadeverde.com

“O governo fez a obrigação dele de apresentar uma proposta de forma linear para todos os professores. Agora é dever da categoria avaliar. Só teremos a resposta para o fim da greve na próxima segunda-feira”, disse a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Piauí (Sinte), Odeni Silva.

Estavam presentes no encontro o governador Wilson Martins, o secretário de Educação, Átila Lira, o secretário da Administração, Paulo Ivan, professores e representantes da comissão de negociação da greve. 


A categoria avalia que a proposta representa uma evolução nas negociações. O retorno imediato às salas de aula será cobrado pelo governo e o pagamento retroativo não foi garantido para a categoria.

Nesta segunda-feira (07), os professores vão se reunir em assembleia para avaliar a proposta feita pela administração estadual, a partir das 9h, e decidir pelo regressos às salas de aula ou pela continuidade da paralisação.

Lívio Galeno
liviogaleno@cidadeverde.com
 
COMETÁRIO:

DEPOIS  DE EXAUSTIVOS DEBATES ENTRE COMISAO DO GOVERNO E DO SINTE PI, O GOVERNO CHEGOU A UMA PROPOSTA QUE PODEMOS CHAMA-LA DE PELO MENOS MEDIANA. 

QUERO AQUI EXPRESSAR O SENTIMENTO DO GRUPO DE NEGOCIAÇAO DO SINTE,.QUE NO MINIMO PODEMOS CONCLUIR ATÉ O MOMENTO QUE ESTAMOS NO CAMINHO CERTO, BUSCANDO ALCANÇAR O QUE É NO MINIMO SATISFATÓRIO PARA A NOSSA CATEGORIA.

AGORA CABE A CATEGORIA AVALIAR E DECIDIR PELO O FIM OU NAO DO NOSSO MOVIMENTO PAREDISTA.

O SINTE ESTARÁ SEMPRE NA LUTA EM DEFESA DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇAO E SEMPRE BUSCANDO ATENDER OS ANSEIOS DA NOSSA CATEGORIA.

PROF. JOAO CORREIA

 
Postar um comentário